Ir para o conteúdo principal

A VIDA NAS SOMBRAS FINANCEIRAS

Nem todos têm acesso a oportunidades de economizar e construir crédito. Isso torna particularmente difícil para as comunidades de baixa renda progredirem. Essas famílias trabalhadoras não conseguem obter empréstimos para automóveis ou casa própria. Eles se voltam para os credores do dia de pagamento e empresas de cash cash. Esses serviços marginais prendem as pessoas em um ciclo de dívidas, impedindo-as de realizar seus sonhos.

INVISÍVEL

Muitos consumidores de baixa renda são invisíveis para os bancos e outras instituições financeiras. Eles têm pouco ou nenhum histórico de crédito e geralmente não têm contas bancárias. Como resultado, esses consumidores lutam para obter empréstimos bancários acessíveis e construir economias para o futuro.

Pelo menos 45 milhões de pessoas não têm histórico de crédito.

16 milhões de adultos não têm acesso a uma conta bancária.

GRUDOU

Fechados pelos bancos tradicionais, os consumidores recorrem a serviços financeiros marginais, como descontadores de cheques e credores de pagamentos e títulos de crédito. As altas taxas de juros e as taxas ocultas prendem os consumidores em um ciclo de endividamento, tornando ainda mais difícil sobreviver.

1 em cada 4 famílias usa serviços financeiros alternativos, como descontadores de cheques e credores do dia de pagamento.

Quase metade dos tomadores de empréstimo contrai mais de 10 empréstimos em um único ano.

CORRIDO

A falta de acesso a empréstimos bancários tradicionais significa ter poucas oportunidades de construir crédito. Provedores de serviços financeiros marginais tiram vantagem desses consumidores, cobrando taxas e taxas de juros exorbitantes.

Os empréstimos do dia de pagamento podem ter taxas de juros anuais de 154% a 677%.

Os tomadores de empréstimos geralmente acabam pagando mais de 3 vezes o valor original do empréstimo.

O QUE ESTAMOS FAZENDO A RESPEITO

Com um pouco de criatividade e uma abordagem única, podemos criar um mercado justo para todas as famílias trabalhadoras. Veja como estamos fazendo a diferença.